Marketing da Tolerância: A qualidade da sua mensagem comercial faz diferença.

marketing tolerante

Acredito que é de conhecimento de muitos sobre os processos que envolvem as estratégias de marketing, principalmente daqueles que dependem destes atos para promover vendas diariamente seja no setor do comércio ou dos serviços. Vender é necessário.

A comunicação do marketing segue tendências culturais e se atualiza de tempos em tempos, de acordo com o avanço dos valores arraigados na sociedade, existe esta tendência de adesão a discursos por parte do cliente pela parte do marketing, se por algum motivo a sociedade se torna polarizada politicamente, a mensagem do marketing tende a ser polarizado também.

Agora com a questão do marketing sendo regido por métricas analisadas por algoritmos, a tendência de adesão ao comportamento do cliente se acentua grandemente, citando aqui o exemplo da questão do marketing promovidos por redes sociais na internet.

Neste caso já estamos observando a geração dinâmica da mensagem, então a campanha para a venda de um determinado produto para um cliente com perfil religioso é gerada especificamente para este consumidor. E assim sequencialmente para cada consumidor que acessa a peça de marketing. A mensagem que você clicou é feita para você, apesar do produto ser o mesmo e partindo da mesma empresa.

Quanto investir no Google ADS?

Marketing da Tolerância: Adesivo aos valores sociais

Agora, será que a situação oposta é verdadeira? Será que uma mensagem distante dos valores culturais vigentes, possui um efeito de vendas? Tratar de comercializar um item, sem adesão ao valor cultural é uma estratégia eficiente?

Me parece que em algumas situações o marketing com viés educacional pode gerar efeitos positivos e influenciar na cultura, principalmente quando todo o mercado começa a adotar medidas no mesmo sentido, como recentemente vimos mais um esforço de estabelecer uma economia verde, após a COP-26.

Precisamos ter a consciência de estabelecer um consumo mais ecológico, precisamos mudar alguns hábitos, e neste sentido citando um exemplo, é óbvio que na necessidade de percorrer grandes distâncias pela malha rodoviária nacional, por motivo de negócios ou de lazer, é muito mais ecológico transportar o seu veículo utilizando os serviços de uma transportadora de veículo.

Então a mensagem de marketing, neste caso estudado, passa do enfoque na questão do preço ou das condições comerciais para um enfoque ecológico, demonstrando ao cliente, por meio da mensagem comercial, como o serviço impacta no ambiente natural, em que todos nós somos dependentes.

A nova geração de consumidores, parece ter maior consciência sobre como o consumo afeta a qualidade de vida das pessoas, e sim, estão muito corretos nisto, é a forma como consumimos é que justifica o mundo ser do jeito que é.

Para uma vida de maior realização, é pela chave do consumo que se pode providenciar mudanças mais profundas, se o que se consome fragiliza o meio ambiente também fragiliza a satisfação do gozo da vida.

São os seus hábitos de consumo que definem a paisagem do volume de empregos, do nível da inflação e dos níveis de violência, isso é que significa viver em uma sociedade capitalista, onde é o trânsito do capital pelas camadas da sociedade é que vai moldando a sociedade, para o bem ou para o mal.

Marketing da tolerância: Vendendo o diferente

A tolerância é obtida por um processo educacional nos primeiros anos escolares, a socialização de qualidade precisa ser ensinada, é através das mãos de professores profissionais, que o debate sobre em como lidar com as diferenças é tratado.

Um marketing tolerante, é um processo comercial que não exclui ninguém. Promover uma proposta comercial que não ofende ninguém é uma proeza das ciências da comunicação, principalmente nestes tempos de muita atenção aos movimentos preconceituosos. Uma empresa, citando mais um exemplo, de venda de imóveis como no caso das imobiliárias de Goiânia, não deveriam exaltar questões regionais como diferencial de venda, pois podem ofender quem não mora na região.

Logo fica claro, que a sua ação de marketing pode ter a sua eficiência afetada por uma questão que segrega os clientes, dependendo do produto pode ser uma ação fatal para a sua estratégia de marketing. O marketing tolerante é aquele que não ofende um determinado grupo ou situação, um exemplo clássico é o tema obsoleto de associar imagem de loiras com falta de capacidade intelectual, já utilizado muito para vender produtos e serviços de várias empresas.

Se hoje a tolerância é um tema a ser seriamente avaliado no seu processo de comunicação comercial, nem sempre foi assim, no passado muitos casos de marketing segregador foram implementados, provando a questão da sazonalidade da cultura e os processos comerciais. A sua mensagem precisa estar aderente aos valores, não interessando se você concorda ou não com elas.

Tolerância é quando todos riem

Sua campanha possui uma mensagem que atende o interesse de todos, então ela é uma mensagem tolerante. As pessoas riem da sua peça de comunicação pelo fato de ela ser divertida e inclusiva e não de uns de outros, então ela está promovendo a tolerância e pode mais facilmente obter engajamento, item muito necessário para a eficiência do seu esforço em marketing.

Estudiosos também relacionam a efetividade da tolerância com a qualidade da distribuição de renda em uma determinada sociedade, existe relação entre a paz social e o nível de tolerância vigente. Não é possível se alcançar tolerância em um regime prisional e de trabalhos forçados.

Tolerância não dialoga com ditaduras nem com a escravidão, é também uma questão em aberto em algumas práticas religiosas. A bíblia para quem a leu, não é exatamente um exemplo de livro que trata de tolerância, sendo mais relacionada a estrita obediência.

Acredito que para os religiosos, é mais difícil lidar com as diferenças justamente pela natureza da religião, que segrega os que são crentes dos outros, o povo escolhido dos não escolhidos, os de suposta elevação moral e os outros. Escrevo de cátedra isto, pois frequentei durante muitos anos o ambiente das igrejas, e lá realmente não é o espaço da tolerância.

Ser tolerante é antes de tudo ser humano, é reconhecer a individualidade de cada um como marca única é admirável, pois torna o jardim da nossa existência mais colorido. A diversidade torna a vida mais interessante e a prática tolerante é o pilar da paz.